Site Notícias Jornal Gazeta de vargem Grande Paulista

Segunda-feira, 17 de Junho de 2024

Saúde

Brasil se torna o país com mais casos de dengue no mundo e SC é o 4º Estado com casos prováveis

De acordo com a OMS, 3,57 milhões de casos foram confirmados no Brasil; 165 mil deles em Santa Catarina

Jornal Gazeta
Por Jornal Gazeta
Brasil se torna o país com mais casos de dengue no mundo e SC é o 4º Estado com casos prováveis
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O Brasil assumiu o primeiro lugar em número de casos prováveis de dengue em todo o mundo. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o país já acumula 3,57 milhões de casos, sendo 165.946 confirmados em Santa Catarina.

Segundo dados do Ministério da Saúde, Santa Catarina ocupa a quarta posição em incidência de casos prováveis a cada 100 mil habitantes, ficando atrás apenas do Distrito Federal, Minas Gerais e Paraná, respectivamente.

A incidência em Santa Catarina é de 4.132 casos a cada 100 mil habitantes. No Distrito Federal, a incidência é de 9.194 casos a cada 100 mil habitantes, em Minas Gerais é de 7.753, e no Paraná é de 5.032.

Leia Também:

Em Santa Catarina, já foram registradas 226 mortes pela doença.

Em relação à Chikungunya, foram contabilizados 462 casos prováveis em Santa Catarina, sem nenhuma morte confirmada até o momento.

O que é a dengue?

Segundo a Dive, a dengue é uma doença infecciosa febril causada por um arbovírus, sendo um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Ela é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectada.

Sintomas de dengue:

De acordo com o Ministério da Saúde, todo indivíduo que apresentar febre (39°C a 40°C) de início repentino e apresentar pelo menos duas das seguintes manifestações – dor de cabeça, prostração, dores musculares e/ou articulares e dor atrás dos olhos – deve procurar imediatamente um serviço de saúde, a fim de obter tratamento oportuno.

Dengue traz dores no corpo humano
Dengue causa febre e dores no corpo – Foto: Freepik/Internet/ND
 

No entanto, após o período febril deve-se ficar atento. Com o declínio da febre (entre 3° e o 7° dia do início da doença), sinais de alarme podem estar presentes e marcar o início da piora no indivíduo. Esses sinais indicam o extravasamento de plasma dos vasos sanguíneos e/ou hemorragias, sendo assim caracterizados:

  • dor abdominal (dor na barriga) intensa e contínua;
  • vômitos persistentes;
  • acúmulo de líquidos em cavidades corporais (ascite, derrame pleural, derrame pericárdico);
  • hipotensão postural e/ou lipotímia;
  • letargia e/ou irritabilidade;
  • aumento do tamanho do fígado (hepatomegalia) maior 2cm;
  • sangramento de mucosa; e
  • aumento progressivo do hematócrito.

Passada a fase crítica da dengue, o paciente entra na fase de recuperação. No entanto, a doença pode progredir para formas graves que estão associadas ao extravasamento grave de plasma, hemorragias severas ou comprometimento de grave de órgãos, que podem evoluir para o óbito do indivíduo.

Todas as faixas etárias são igualmente suscetíveis à doença, porém indivíduos com condições preexistentes com as mulheres grávidas, lactentes, crianças (até 2 anos) e pessoas maiores de 65 anos têm maiores riscos de desenvolver complicações pela doença.

Tratamento

De acordo com o Ministério da Saúde, o tratamento é baseado principalmente na reposição de líquidos adequada. Por isso, conforme orientação médica, em casa deve-se realizar:

  • Repouso;
  • Ingestão de líquidos;
  • Não se automedicar e procurar imediatamente o serviço de urgência em caso de sangramentos ou surgimento de pelo menos um sinal de alarme;
  • Retorno para reavaliação clínica conforme orientação médica.

No entanto, apesar das medidas, ainda não existe tratamento específico para a doença.

FONTE/CRÉDITOS: ndmais.com.br
Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!