Site Notícias Jornal Gazeta de vargem Grande Paulista

Segunda-feira, 17 de Junho de 2024

Política

Você conhece o ciclo de violência contra a mulher?

Tensão, explosão e lua de mel, conheça o ciclo da violência

Jornal Gazeta
Por Jornal Gazeta
Você conhece o ciclo de violência contra a mulher?
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Em 2022, 35 mulheres sofreram alguma violência física ou verbal por minuto no Brasil, conforme uma pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e do instituto Datafolha. A mesma pesquisa também aponta que um terço das mulheres já sofreu algum tipo de violência física ou sexual durante a vida.

Muitas vezes, as mulheres sofrem violência e não falam sobre isso por um misto de medo e constrangimento. Os agressores, por sua vez, buscam construir uma autoimagem de parceiros perfeitos, dificultando a revelação pela mulher.

A Lei Maria da Penha foi a primeira lei brasileira voltada ao tema e criou mecanismos para combater a violência doméstica e familiar contra a mulher trazendo importantes avanços, a tipificação dos casos como crimes, incluindo agressão física, psicológica, sexual, moral e patrimonial contra as mulheres.

Leia Também:

Assim, foram criados os juizados especializados e as delegacias da mulher, além de medidas protetivas de urgência e ações educativas e preventivas. Para conseguir ajuda, é importante reconhecer o ciclo e encarar esse problema.

Ciclo de violência contra a mulher

A violência contra a mulher, especialmente a doméstica, acontece em um ciclo composto por três fases: o aumento da tensão, a explosão e a lua de mel. Essas fases podem variar de tempo e intensidade, mas acabam sempre voltando a acontecer.

Aumento de tensão

Nessa fase, o agressor começa a ficar irritado e apresenta momentos de agressividade, começa a humilhar a vítima, fazer ameaças e destruir objetos. A vítima, por sua vez, acaba aflita e atenta a qualquer atitude que possa despertar a raiva do parceiro. Os sentimentos são de tristeza, angústia e medo.

Ato de violência

Nessa fase, o agressor efetiva as ameaças que vinha fazendo na fase anterior, seja em dimensão verbal, física, psicológica, moral ou patrimonial.

Nesse momento, a vítima pode se sentir paralisada, com medo e sozinha, mas esse também pode ser um momento de ação.

Para denunciar uma violência contra a mulher ou pedir ajuda, é só ligar no número 180 (Central de Atendimento à Mulher). Em casos de emergência, o número é o 190 (Polícia Militar).

Lua de mel

Após a explosão vem o arrependimento. O agressor pede desculpas e demonstra remorso para restabelecer a relação. Muitas vezes este é um período em que a mulher se sente feliz por constatar os esforços e as mudanças de atitude, lembrando os momentos bons que tiveram juntos.

A mulher pode ficar muito confusa e propensa a manter o relacionamento diante da sociedade. Como há a demonstração de remorso, a vítima se sente responsável pelo agressor, o que estreita a relação de dependência entre as duas partes.

 

FONTE/CRÉDITOS: ndmais.com.br
Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!